Resenha Crítica: Chama Negra (Série Os Imortais)

O chato de se ler série e depois resenhá-la é que você acaba deixando de ler outros livros por um tempo um tanto longo. Embora Os Imortais seja de leitura super rápida, estou me enrolando um pouco para deixar meu parecer aqui porque tenho um rapazinho de quatro meses, meu principezinho, que precisa muuuito de mim. Mas a esta altura do campeonato estou no último livro. Então, vamos à continuidade. Para ler este post, o ideal é que você já tenha lido os primeiros três livros, Para Sempre, Lua Azul e Terra de Sombras, porque sou obrigada a fazer spoiler.

Sinopse: Em Terra de Sombras, volume anterior da série, Ever faz mais algumas besteiras. Já havia comentado que a espertona passou a mexer com magia negra, mesmo sob o protesto de Damen e dos seus amigos, mas vindo da expert em ter péssimo discernimento, o que você acha que aconteceu? É claro que ela achou, como sempre, que sua decisão seria inofensiva e daria certo, então, ignorou todo mundo e decidiu ir a fundo nos seus planos. Com o objetivo de fazer Roman lhe entregar o antídoto, Ever fez um ritual para aproximá-lo e obedecer a suas ordens, mas a magia deu totalmente errada e ao contrário, ela é que ficou amarrada a Roman. Ao final do livro, Roman fez um jogo de chantagem para Ever, e a obrigou a decidir entre salvar a vida de Haven, e com isso deixar de ganhar o antídoto para o problema de Damen ou finalmente recebê-lo, mas deixar sua melhor amiga morrer. Damen e Ava imploram para que Ever deixe que Haven morra, porque o único destino dela se for transformada em imortal e posteriormente acertada em seu chacra sensível (não lembro como se diz) será o de ser mandada às profundezas de Shadowland. Ou seja, a morte é a melhor saída, caso contrário, Haven correria o risco de passar toda a eternidade caindo na escuridão total. O que você acha que Ever faz? Claro, transformou sua melhor amiga em imortal.

Já em Chama Negra, Haven passa a mostrar seu lado negro, envolve-se com Roman e passa a ser exatamente como as meninas que tanto despreza, como a patricinha e super popular Stacia. Já Ever precisa lutar contra as terríveis consequências por ter mexido com magia negra. Agora, tudo o que fez de mal volta para ela como carma três vezes. Um desses carmas é ter que lutar contra um desejo incontrolável que adquiriu por Roman, porque só a mera aproximação do rapaz, já faz Ever perder totalmente o controle. Esse desejo Ever apelidou de chama negra. Mas é nesse livro que, finalmente, Ever aprende como controlar seus impulsos e a ter um pouco mais de discernimento. Por isso, no final do livro, ela acaba fazendo uma escolha super sensata que quase a leva a conseguir seu tão desejado antídoto que permitiria que ela e Damen finalmente ficassem juntos plenamente. Eu disse quase.

Crítica: Na resenha do livro anterior, comentei que as coisas melhoravam bastante nos livros seguintes. E confesso que quase até o fim de Chama Negra eu ainda estava bastante desanimada. Mas é no final deste volume que a chapa esquenta de verdade, por isso, a leitura fica bem bacana depois dela. O fato de Ever ter aprendido a ter um discernimento um pouco melhor ajuda a fazer com que a indignação do leitor seja amenizada um pouco, porque como Ever é cabeça dura. Não sei se é pior o fato de Ever ser tão estúpida ou de Damen passar a mão na cabeça dela o tempo todo. De qualquer modo, depois disso, a leitura progride bastante, por isso, vale a pena.

Minha Nota: 7,0

Comente com o Facebook:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...